Embora minhas viagens ao continente africano sejam bem frequentes, até então, eu não havia tido a oportunidade de ir à Tanzânia no famoso período da Grande Migração. Em 2019, eu me programei e, enfim, embarquei para essa jornada de contemplação da vida selvagem em seu estado mais bruto.

O que é este fenômeno natural chamado de “Grande Migração”?

A Grande Migração é um fenômeno natural de deslocamento selvagem que movimenta mais de 1,5 milhão de animais, em sua maioria gnus e zebras.

Esses animais percorrem um longo caminho, desde o grandioso Serengeti, na Tanzânia, até a planície do Masai Mara, no Quênia.

Essa grande movimentação concentra-se nos meses de junho a outubro de cada ano e é um verdadeiro espetáculo da natureza. Esses animais lutam a cada instante pela vida. Os desafios são enormes, entre eles, cruzar o grande Rio Mara, um rio infestado de ameaças, como os enormes e poderosos crocodilos e os hipopótamos que, embora herbívoros, também são uma grande ameaça aos animais que cruzam o rio.

Nosso jeep ficou parado por horas em frente ao rio, esperando que ocorresse o cruzamento de gnus. Uma grande quantidade desses animais estava às margens do rio, esperando o momento ideal para cruzá-lo. Foi então que um deles pulou e, logo atrás, vieram milhares que, em um tipo de fila indiana, tentavam cruzar o rio. Era realmente um grande espetáculo natural que se exibia diante dos meus olhos e das minhas lentes. A briga pela vida era intensa, a presa e o predador se enfrentavam dentro da água.

Estava em um estado de alegria profundo, parecia que havia ganhado vida diante de meus olhos todos os documentários gravados durante a Grande Migração que eu havia assistido.

Os animais, ao conseguirem sair do rio, após terem vencido esse grande desafio de sobreviver à travessia, corriam ao lado do nosso jeep. Eram tantos que sentíamos tremer o piso do 4X4… Realmente, um deslocamento massivo de animais.

Embora o meu safári tenha sido bastante exitoso, decidi fazer o sobrevoo de balão de ar quente na manhã do dia seguinte. Eu queria ver a Grande Migração de um ângulo diferente, “de cima”. Cheguei bem cedo ao local da decolagem, presenciei o enchimento do balão com os maçaricos e partimos para uma aventura silenciosa e com uma vista indescritível. Literalmente, estávamos voando nas asas da Grande Migração. Uma experiência considerada obrigatória aos aventureiros que querem provar do melhor em sua aventura na Tanzânia.

Por: Thiago Cuencas – Diretor Geral na Viagens & Cia.

busca